quinta-feira, 5 de julho de 2012

Dia de paralisação dos rodoviários no DF



A paralisação dos rodoviários está prejudicando o brasiliense. As paradas de ônibus estão lotadas e as estações do metrô está sobrecarregada de passageiros. Todas as linhas convencionais estão paradas. Apenas as cooperativas de microônibus e convencionais não entraram na greve.

Desde o fim de semana, o sindicato da categoria havia previsto uma paralização de 24h caso não entrasse em acordo com o governo. Eles pedem um reajuste salarial de 7,88%. De acordo com a lei, pelo menos 30% da frota de 4 mil ônibus precisa ficar em circulação, mas o DFTrans ainda não sabe informar se este número está sendo cumprido.

Embora seja ilegal, a opção para muitas pessoas tem sido o transporte pirata e as lotações. O aposentado José Dantas da Silva, 47 anos, não teve escolha. Ele saiu de casa em Águas Claras às 3h30 e ficou duas horas no ponto de ônibus, até que decidiu pegar um transporte ilegal com destino à Taguatinga para embarcar no metrô. Ainda assim Silva não conseguiu e até às 7h o aposentado não tinha conseguido entrar no transporte.

O metrô do DF também já tem um aumento considerável no número de passageiros na manhã desta quinta-feira (5/7). Segundo a assessoria de imprensa do órgão, foram colocados dois trens extras em circulação no horário de pico, que vai até às 9h. Ao todo, são 26 veículos a disposição da população. A empresa ainda abriu o serviço 30min mais cedo. Para o final da tarde, o número de trens também será igual ao da manhã. O vagões param de rodar às 23h30, como de costume.


Nenhum comentário:

Postar um comentário